Mulheres nas Startups: A presença Feminina em Negócios Inovadores

Posted on Posted in Digital, Empreendedorismo Feminino

Que as mulheres são maioria em abertura de negócios no Brasil, todas já sabemos, afinal  52% dos negócios com com mais de 3 anos no Brasil são predominantemente femininos, a grande novidade é a força feminina nas Startups.

Podemos definir uma startup como:

“Uma instituição humana desenhada para criar um novo produto ou serviço em condições de extrema incerteza. (Eric Ries)”

Atualmente, quando pensamos em negócios inovadores, relacionamos a inovação tecnológica, o que necessariamente não é verdade. A inovação pode ocorre  tanto em produtos quanto  serviços, como por exemplo, sopa por delivery, assinatura de produtos para cães ou uma plataforma, aplicativo para gerenciar casamentos, etc.

Além disso, há outras forma de inovar, como inovação de processo, o que acontece em supermercados fora do país, onde o pagamento das compras dispensa a figura do caixa, inovação em marketing, como a Luiza, atendente virtual das lojas Magazine Luiza e inovação organizacional, caracterizado nos escritórios criativos e diferentes do Google.

Enfim, com esses exemplos, percebe-se que inovar é um processo criativo e está totalmente relacionado as necessidades de um grupo de pessoas e que a tecnologia é um ferramental para viabilizar esse processo. Pois bem, você deve estar se perguntado:

Qual a relação das mulheres nas Startups?

Veja 3 respostas a seguir:

  • A presença feminina é decisiva para os esses negócios (pesquisadores de Harvard): o fato das mulheres terem a visão multifocal, proporciona uma melhor percepção do negócio como um todo, diminuído os riscos de falhas nos demais setores, como normalmente nas startups tudo acontece rapidamente, as mulheres conseguem acompanhar mais facilmente as mudas e oscilações do negócio.

 

  •  80% da decisão de compra são das mulheres, incluindo compras online e jogos de celular (The Economist): se as mulheres são quem mais compram no mundo digital, logo ter uma mulher trabalhando em uma startup faz todo o sentido, já que as startups utilizam  vários recursos digitais.

 

  •  Startups dirigidas por mulheres tiveram 12%  de retornos mais altos do que as comandas apenas por homens (Illuminate Ventures): negócios modelados no formato de startups, trabalham com vários talentos, então ter pessoal qualificado na equipe é um desafio e  mantê-los é um trabalho mais complexo, e nesse ponto as mulheres são craques. O fato das mulheres serem mais sensíveis e naturalmente possuírem uma facilidade no relacionamento e comunicação proporciona maior empatia entre os funcionários, se alguém precisa sair mais cedo ou se ausentar por um determinado tempo, as mulheres conseguem lidar melhor com a situação.

Então, meninas não somos mais meras coadjuvantes no mudo dos negócios, somos protagonistas e estamos girando a economia dos pais, claro que, ainda há muito o que conquistar, como salários igualitários, mas considerando o tempo da constituição dos direitos da mulher 1988, estamos muito bem!

Esse artigo é um trecho da palestra que eu ministrei na Universidade Federal do Pampa “A Presença Feminina nas Startups”.

f

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *