Bom humor: combustível para viver melhor

Posted on Posted in Desenvolvimento Pessoal

.

Olá, tudo bom? É muito gostoso estar aqui novamente.

No último artigo comentei sobre a importância de acreditar em você mesma, apesar de todas as críticas e “nãos” recebidos. Hoje vou falar sobre algo que está se tornando raro nos dias de hoje: bom humor ou automotivação.

Conheço jovens de 70 a 85 anos e velhos com apenas 20 e poucos anos. Como pode acontecer isso?

Pesquisas mostram que pessoas com bom humor e com uma visão otimista vivem mais, ganham mais dinheiro, têm mais sucesso em suas vidas!

Sorrir faz bem!

E cá entre nós: quem é que gosta de ficar ao lado de uma pessoa que só reclama?

Você se lembra desse personagem?

 

imag-2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tem gente que reclama de tudo! Dos ônibus que tem de pegar, da comida do restaurante da empresa, da caminhada que faz todos os dias, de precisar trabalhar, de ter filhos e tantas outras coisas! Fala que não tem sorte na vida e por isso não tem motivos para sorrir… Já dizia Bernardo Goldfarb (fundador das Lojas Marisa) “Quanto mais eu trabalho, mais sorte eu tenho”.

 Problemas todo mundo tem. Alguns têm pequenos problemas, mas parecem que se sentem como se os seus problemas fossem os maiores do mundo. Outras têm um problema enorme, mas com suas crenças e fé, continuam com suas vidas sem perturbar os demais. Tudo é uma questão de ver a vida de outra maneira. De forma positiva.

img-2o pessoas que parecem ter uma luz própria. Tudo está bem. Não tem terror. Conhece alguém assim?

Quer um exemplo?

Quando o meu filho era pequeno, eu precisei contratar uma empregada, pois eu trabalhava direto e chegava muito tarde em casa. Precisava de alguém para aguardá-lo quando voltasse da escola, alimentá-lo e ficar com ele até eu ou meu marido chegarmos.

Muitas profissionais foram indicadas e selecionei duas para entrevista pessoal.

Comecei a primeira entrevista perguntando se havia sido difícil chegar até minha casa. Ela respondeu que eraimg-1 bastante para caminhar, pois o ônibus parava na avenida, um pouco longe de casa… Perguntei se ela cozinhava, pois meu filho almoçava e jantava em casa, ao que ela me respondeu que detestava cozinhar e que nem em casa ela cozinhava…

Bom, segunda entrevista. A princípio eu não ia nem chamar porque me disseram que era uma senhora de 63 anos. Mas como eu gostei do seu tom de voz ao telefone, decidi entrevista-la também. Comecei perguntando a mesma coisa: se havia sido difícil chegar até minha casa. Ela me respondeu que o ônibus parava na avenida, mas que não tinha importância, porque caminhar faz muito bem para a saúde. Opa! Ponto prá ela! Da mesma forma anterior perguntei se cozinhava ao que ela me respondeu que cozinhava o trivial, mas que se eu quisesse que ela fizesse algo diferente, era só deixar a receita.

 

Adivinha qual delas eu contratei?

 

Ficou conosco quase quatro anos e só saiu de casa porque começou a ter problemas de saúde e o médico pediu para ela sossegar um pouco. É uma das pessoas que meu filho mais lembra e gosta. Mantém contato conosco frequentemente, tornando-se uma grande e querida amiga.

 É esse tipo de atitude, visão otimista, que faz a diferença nas pessoas e no mercado de trabalho.

 

Comece o dia cumprimentando as pessoas com um sorriso no rosto. Contagie-as com sua alegria, com seu bom humor.

E agradeça. Agradeça a Deus por estar com saúde, por ter um emprego, por ter pernas que possam correr atrás de um ônibus, por ter comida e água para viver, por ter tido uma das maiores bênçãos do mundo: seus filhos, pelo ar que consegue respirar; pelas decepções que a fazem aprender; por mais um dia; pela vida!

 

Tenho certeza de que você será mais feliz.

Agradeço por mais este encontro.

Um beijo e uma semana iluminada!

fatima-avatar

    Fátima Sousa

Empresária com MBA em Finanças, Comunicação e RI-USP, com mais de 15 anos de experiência na área de Gerenciamento de Serviços em empresas nacionais e multinacionais; ex- diretora e atual conselheira da ABRAFAC (Associação Brasileira de Facilities); ex-diretora da CoreNet Brasil (Associação mundial em networking de Real Estate e Facilities); conselheira fiscal do movimento Mulheres da Verdade II (grupo que defende a Ética e a Cidadania em São Paulo); fundadora e atual presidente do grupo Mulheres de Facilities – Brasil com mais de 400 mulheres que trabalham na área de gerenciamento de serviços / infraestrutura; voluntária na entidade Casas Maria Maia (arrecadação para o Bazar) que atende crianças com paralisia cerebral e física e voluntária na ONG Mãos Sem Fronteiras (utilização de Estimulação Neural em centros vitais); sócia da empresa “Facilities Services Treinamentos”, especializada em soluções de treinamentos empresariais. Empreteca – Sebrae (turma 2013); Finalista do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios – 2011/2012 na Etapa Estadual, categoria Pequenos Negócios. 

facebooksite

*

.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *